quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Olinda Linda Minha

Ladeiras de passos
passado ritmado.
Ruas de sobrados
casas de telhados.
Portas e janelas
entre olhares de moças belas.

Becos e vielas
jardins perfumados
sinto o cheiro dela.
Barulho de sandálias e sapatos,
em ruas de pedras.

Mar a vista de noite inluarada
vontade e desejo
de banco de praça
com a namorada.

Estandarte frevando
símbolo da agremiação,
orquestra em frevos
no ritmo das batidas do coração.

Entre a multidão
desapareço.
Só a um endereço,
me encontre no frevo
rasgando a solidão.

Amigos 3

Abraçarei a todos
de corpo e alma.
Sentirei a energia
pura e limpa da amizade.
Sentirei saudades
das conversas intimas,
dos segredos compartilhados.
Não há atrasos
quando se gosta
em caminhos de luzes
sempre há a volta.

Amigos 2

Quando estou sozinho
horizontado em ninho
calor de pele
suaviza a solidão.

Vozes são ouvidas
gritos de amigos
desperta do tempo
lembrando da vida.

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Amigos 1

A camaradagem é uma prática antiga
sempre ajudando uma mão amiga.
Colaborando com uma mentira,
para salvar uma amiga.

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

ERRATA 1

Não há como se livrar dos erros
do cotidiano, se esquece ou vira monstro.
Erros são humanos, crescemos para errar,
somos educados para não cometer o mesmo erro.
Mas as vezes até por desprezo,permanecemos
no mesmo erro.
Somos resultado de um erro da natureza?

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

SOMBRAS 5

Tenho a sensação de uma dupla personalidade
as vezes tenho uma grande facilidade de os
sonhos serem realidades.
Penso em tudo,
existe outros mundos.
Quando acontece certos fatos,
percebo que os já presenciei,
são familiares.
Rápidos como o vento,
porém as sombras permanece.
Não se repetem
mas enlouquecem a mente.
Estão presentes
a pele sente
arrepios e medo.
Se me atrevo a acordar
como vou encarar
se não posso parar de pensar.

SOMBRAS 5

Andar pelas ruas em noites de chuvas, sem direção, ao sabor dos ventos e pingos
de água fria, que arrepia todo o corpo.
Sensação de natureza em corpo e alma,
pele molhada, correnteza de cristais.
Passos pra frente e pra trás,
vencendo o caminho sozinho.
Correnteza se forma no pé da calçada,
vira estrada de seres pequenos
em busca de uma nova morada.
Vulto se aproxima com baforadas
imitando a Maria Fumaça.
Guarda Chuva alado
passos são marcados em areia
fria e molhada.
Em que rua existe uma parada
que compense essa caminhada.

sábado, 22 de janeiro de 2011

SOMBRAS 4

Há uma chave que abre a porta, será ela?
alguém me suporta, alem da porta?
espero o fim das horas que sufocam o tempo.
Aguento o cheiro do incenso vindo do Punjab,
enfiado no jarro de jade.
Indiana sensação,
equilibrando taça nas mãos.
Cria-se sombras na porta,
embriagando a visão.
Manifesta o desejo de ir embora,
sem saber as horas,
que devo abrir a porta.

SOMBRAS 3

Lento, muito lento,mas não me arrependo dos últimos passos dados
em minha vida, seja frequentando as igrejas ou nas noites de baladas,
em que o corpo ficava pelo avesso e a mente em luzes estreladas varando as eternas madrugadas.Olhares amigos em copos trocados de mesas embriagadas de novas namoradas.
Conversas animadas de futuros incertos em línguas afiadas.Prevalece as experiências dos que falam em alta voz, não há cor, não há raça, nem regionalismo são todos amigos, as disputas são pelos copos de cerveja, qual a mas gelada, sem se importar se o tira-gosto é bom ou ruim, o gostoso é a farra, entre beijos da amada, entre gargalhadas por nada.

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Novo Livro TENTAÇÕES POÉTICAS

Antes do lançamento dois poemas já foram selecionados em coletânia nacional, como também um conto,fica claro a minha preocupação com meus leitores de propiciar uma boa poesia, livre e simples sem artimanhas académicas.
Prefácio:Leocádia da Hora (Secretária de Educação do Município de Olinda)
Apresentações: Marcelo Santa Cruz(vereador do Município de Olinda),Jorge Prestanista(Vereador do município de Olinda),Teresa Leitão(Deputada Estadual de Pernambuco).

SOMBRAS 2

A crueldade é normal quando está com raiva de outra pessoa ou de se mesmo.
No momento sou cruel com minha consciência e quem sabe com a minha alma, que sente o turbilhão de pensamentos vil.Há vão todos para a curva do rio,não sou um imbecil e nem inocente infantil, apenas um humano sano, em desespero de visão.Só sentimos o que está em frente, seja na visão dos olhos ou em sonhos, que muitas vezes se é que lembramos, ao acordar, se é que acordamos, ou estamos em sonhos eternos, e tem soberano se divertindo eternamente.

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Sombras 1

ASSOMBROSO,TERRÍVEL, É TUDO imaginação
não seja o seu próprio cão.
apodreça na escuridão,
seja um vampiro ou demónio.
Sinta o gosto do sangue em sua língua,
pensa nas prezas de tamanho desumano.
Devore o medo, enfrente a situação,
só vale o que realmente é verdadeiro.

sábado, 15 de janeiro de 2011

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Tentações Poéticas

Esse livro, mas o livro Simples Poesias Poemas Simples, como adquirir: acesse joaoolinda08@yahoo.com.br

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

SAMPA PAULICÉIA

Caminhadas em Sampa ruas antepassadas de barões
tomar café em esquinas conversas pro ar.
Poluição, barulho quem se importa
é charmoso e gostoso.
Alvoroço de quem vai e vem,
já não há trem, o metrô é o sangue de humanos
em tuas veias dando pulsar a cidade.
Mundo de cidade,de povos mundiais,
abraço de mãe em concreto maduro.