segunda-feira, 31 de março de 2014

Escuro Muro

Sombras
vultos
som mudo
escuro muro.
Estou duro
ressaca de feriado
turco na Alemanha.
Churrasco de noivado
salário abreviado
colega maltratado.
Sírio de Jerusalém
ferias na Eritréia.
Bocas falas mal(au)dição.


domingo, 30 de março de 2014

Horror na Madrugada

Horror na pela
que não sara.
Mordida de vira lata
sangue.
Topada no pé
queimadura na língua
vizinha que não para.
Latidos na madrugada
insônia
nada na geladeira.
Como o que restou
do dia anterior.
Pra onde vou
sozinho
busco outro ninho
acolhedor.

sexta-feira, 28 de março de 2014

Prantos

Escuro
pulo o muro
solidão.

Caminho
sozinho
riscando.

Névoa
sombras
arrepio.

Canso
prantos
adormeço.

Ferida

feridaa  almaaa
arde
penetração
função
quadrado ao averso
endoideçooo...

quarta-feira, 26 de março de 2014

Dor

Dor! lembranças
ausentes
queridos
malditos
ferida
alma...

sábado, 22 de março de 2014

Melancolia

Droga de azedo
perdi o endereço
já não conheço.

Padeço de inspiração
batidas do coração
não, não ao pranto.

Desengano, caminhando
contra- mão do tempo
me arrependo.

Nuvens que vem
ventos sombrios
noites de arrepio.

Padeço de muito frio
inimigo de mim mesmo
terço o adereço da minha alma.

sábado, 15 de março de 2014

Podre

Feras, feridas dor no peito
febre na alma
azedume no coração
podridão dos pensamentos
tormentos.
já não aguento
é extrapor  consciência
sinto a ausência da razão
prefiro a contra mão.

sexta-feira, 7 de março de 2014

Vida Virtual

Um não a pouca vida
Sim a boêmia
De bem
Azarando o belo
Vivendo o luxo
Cobertura alada
Caminhar na Praça
alimentação
Curtindo o cão
Facebook de mil
Amigos virtuais
Contatos marcados
Horas unidas
Fim de noite
Boas companhias.