segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Viva!

Viva!
ande
corra...
Saúde
alegria
conhecer
merecer
enaltecer
vibrar.
Tudo isso é amar

Viva o Mundo

Ponto final
nem tudo acaba
sempre há uma nova estrada.
Ano que se aproxima
enche de rima
uma nova vida.
Esquece as feridas
abre-se uma nova avenida
oportunidades em cordilheiras
esperanças em barulho de trovões
ide a verdade
a vaidade acima de tudo
curta o Mundo.

domingo, 21 de dezembro de 2014

Petralha

Petralha é?
Navalha de barbeiro
Noiva usada
Água de capim
Luz de candeeiro
Fósforo que não acende
Rua sem fim
Parada interditada
Fila única
Rouba e não aparece
Eleito no 2 turno
Manda em tudo
Se acha honesto
Metade acreditA
Supremo MilitantA
AntA
Preside entA.


quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Imbecil

Imbecil enganador
retardado.
Miado de telhado
rajado.
Amaciado de pelejas
auto inveja
desfigurado.
Sonha ser tarado.
Mas adora
o V do mato.

Malu Vido

Maluvido não dá atenção
vive na contra-mão
sonha colorido
ouve em estampido
o grito
é seu melhor
encanto.

domingo, 14 de dezembro de 2014

Agorento

Agorento
marrento reclama do vento
atraca-se com amigo
o mundo é seu inimigo
a bocada é abrigo
baforada apertada
viaja em disparada
logo a fome
ataca.
Morgado fica
na rodada não alisa
sai em disparada
numa longa
estrada.

Zarento

Ferida que não sara
mordida de vira-lata
mentira de canalha
queimadura em fornalha
dor que não passa
vomito de ressaca
traição de namorada
mendigo de praça
rasga fundo da calça
esperança que salva.

sábado, 13 de dezembro de 2014

Besta

Besta! mansa
Fera.
Fere a anta
manca.
Mata a nata
socializa.
Rouba a mente
mente.
Mansa fica
Eterniza.

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Ilusão

Ilusão
luz de um túnel
escada sem degraus
musica marginal
se acha o tau.
malandro que ainda
lé jornal.
Namora uma arquiteta
que anda de bicicleta
curte ser moleca.
Adora panqueca
escala torres de templos
só para saborear o vento.
Vão a missa em feriado.

Mancada

Desisto do futuro
já tendo um passado
que não me agrado.
Roubo o prato
de caviar e peru assado
bêbado de vinho adocicado.
Começo de ano errado
postulando ser Bill Gates.
Ferias em Damasco
mastigando o bagaço
que livra-me do cansaço.

Pancada

Pancada já é uma dor
imagina uma topada
no dedão
doí até o coração.
Enquanto a dor da traição
essa não tem perdão.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Maldito

Maldição
não saio do chão
sem perdão.
Mato o pensamento
sem arrependimento
chora o vento.
Ando na minha mão
escolho os irmãos
sangue puro bebo com emoção.
Flagelo o corpo
assas de corvo
finjo morto.
Absorvo da sua insiguinificância
vida sem importância
fere a ganancia.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Corredor Polonês

Corredor
dor
fome
violência
massacre.
Polonês
resistência
luta
esperança
liberdade.