quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Antigo

Sou antigo, poucos ficam comigo,
conto nos dedos os amigos.
O passado é honra,
o presente faça,
e o futuro? fico cansado.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Haikais (Minutos)

um passo em dois,

percurso apressado,

ainda atrasado.

Fui!

Em silêncio chega
sem brilho, sem luz.
logo seduz a matéria,
em tempo quase eterno.
A vida passada a limpo,
em cem metros de um segundo só.
Aberto o portal,
milhões de vitrais de cristais.
Sinfónicas celestiais,
tapete de seda em tons azuis.
Desfile de anjos,
espírito flutua, o corpo fica.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Tempo Etéreo

Tudo não passa de uma distração,
um olhar penetrado de arrepiar o coração.
É rápido como um canhão,
um desejo ardente e envolvente que paralisa a mente.
São belos e caprichosos o andar balançando às mãos,
o vai e vem dos calcanhares, barulhos de sedução.
Ficar de frente, sentindo o cheiro de gente,
uma bela visão,embriagando a alma.
Temperatura em alta, igual a pressão,
morte rápida, porém desejada.
fica o conforto, que a imagem não envelhece,
no etéreo onde o tempo não passa.
A lembrança de uma eterna namorada.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

terça-feira, 9 de novembro de 2010

sábado, 6 de novembro de 2010

Haikais

Um simples passo
uma nova flor surgirá,
aromatizando o ar.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

PEDRAS, PEDRAS E PEDRAS

Para Sakineg Mohammed Ashtiane
(O Irã não que a execução)

Quantas são necessárias,
Para acabar com a estupidez.

O peso contribuí,
Para esmagar a arrogância.

O tamanho influí,
`Para a vingança religiosa.

A força do arremesso,
Para que a dor do pecado seja exemplar.

Quantos irão participar,
Para atestar o óbito.

Amontoados formando um monte,
Para a vergonha ter um marco.

Quantas Montanhas são necessárias,
Para atestar o Divino.